segunda-feira, 15 de julho de 2013

Sessão especial homenageia escritores


Na foto Ronaldo, Liane, Jucelia, Celita e Nilso

Sessão Legislativa especial celebra 122 anos de colonização de Siderópolis

Uma sessão especial, realizada na Câmara de Vereadores de Siderópolis nesta segunda-feira, 15, foi um dos marcos da comemoração dos 122 anos de colonização do município, celebrado no próximo dia 18. Esteve presente na cerimônia, além do Presidente da Câmara de Vereadores de Siderópolis, Romildo Soares (PMDB), e dos demais vereadores, representantes do Legislativo de municípios vizinhos, os ex-prefeitos de Siderópolis Lúcio Ubialli, Dionei Rossa e José Antônio Périco, o prefeito de Siderópolis, Hélio Cesa, o Alemão, o vice-prefeito Roni Remor, o Lilo, entre outras autoridades municipais.

Durante a sessão especial foram homenageados os escritores e historiadores que publicaram livros sobre a história do município, entre eles Jucélia Longo Scaini, Selita Sachet Cesa, Liana Magagnin, Márcia Barg, Nilso Dassi e Ronaldo Davi. 

Para o presidente da Câmara de Vereadores, Romildo Soares, esta semana é especial para lembrar as dificuldades que os primeiros imigrantes passaram. “Que a coragem e a garra dos imigrantes sirva de exemplo para nós, que devemos ter força para lutar em busca de nossos objetivos”, salientou. 

O prefeito de Siderópolis, Alemão, também destacou a importância de celebrar o aniversário de colonização e, mais ainda, de manter a história do município sempre viva. “O que somos hoje é reflexo do que se passou, e Siderópolis passou por várias fases”, salientou. Segundo ele, o município sempre será parceiro de tudo o que for relacionado à cultura. 

O Projeto de Lei que instituiu a data 18 de julho como a data de nascimento da cidade, foi aprovado pela Câmara de Vereadores de Siderópolis no dia 21 de fevereiro de 2011, e sancionada pela então administração municipal no dia 28 de fevereiro do mesmo ano. 


História de mais de um século

Segundo o historiador Nilso Dassi, Belluno, primeiro nome de Siderópolis, surgiu com a criação da Colônia Nova Veneza em 1891, resultado de uma política imigratória incrementada pelo governo brasileiro iniciada no império e concluída na república, objetivando a ocupação e o povoamento, principalmente, nos estados da região sul do país. É possível observar no Diário da Administração da Colônia, segundo ele, que os primeiros registros contábeis com a finalidade de preparar o local para abrigar os colonos italianos nos seus respectivos lotes, datam de 4 de janeiro de 1891.

Conforme o historiador, após minuciosa análise de documentos, constatou-se que foi em 18 de julho que a primeira grande leva de imigrantes chegou à Belluno com a incumbência de ocupar os lotes, previamente demarcados.

Nilso Dassi destaca, ainda, que na época foram 234 imigrantes italianos, totalizando 27 famílias, que se instalaram próximo a sede central do Núcleo de Belluno, hoje área central de Siderópolis. Entre as famílias que aqui chegaram em 1891, segundo o historiador, citam-se as seguintes: Bez, Bianchin, Bratti, Burigo, Cesa, Da Boit, Dal Farra, Damian, Dazzi (Dassi), De Bona, De Bettio, De Col, De Mattia, De Menech, De Nez, Feltrin, Mazzuco, Moro, Olivo, Panatta, Pillon, Sacchet, Savaris, Savi, Scariot, Tramomtim e Vamerlatti.










Colaboração Vanessa Nórdio

Powered by 123ContactForm | Report abuse