segunda-feira, 19 de agosto de 2013

Molagre: uma experiência vivida por Lucas Fontanella


Nascer de novo? Não a gente não nasce de novo, mais MILAGRES eles existem! Posso afirmar isso depois de capotar cinco vezes em um barranco de 7 metros e ser ejetado pra fora do carro pelo vidro de trás, e sofreram apenas escoriações leves,aqueles segundos horríveis, eu parecia um boneco indo para o banco de trás pra frente e pra trás de novo só pensava em meus pais minha família, como minha mãe vai ficar se eu morrer, meu pai, minha família... quando tudo acabou fiquei na parte de trás do veículo deitado e olhando para o céu, apenas sai do carro e rezei, tinha acontecido um milagre, quem chegava ao acidente perguntava: cadê o motorista? Já tiraram ele das ferragens, e eu dizia, sou eu, ninguém acreditava. Antes de ser encaminhado para o setor da Unimed no hospital são José eu vi jovens de 20 anos que sofreram acidentes com grau bem menor que o meu sofrendo e gemendo de dor na maca,e gritando pedindo para não deixarem que morressem, com fraturas expostas, todos ensanguentados e eu... Meu Deus, tinha capotado, fui jogado pra fora do carro, e estava VIVO ! sem derramar uma gota de sangue, estava bem. Esta semana eu vi uma imagem do sagrado coração de Jesus jogada em cima da minha mesa, eu não costumo guardar aqueles santinhos, mais resolvi deixar no meu quebra sol do que ainda era um carro, aquela semana, tinha ido à missa, após muito tempo, parece que pressentia algo, que precisava de Deus. Os médicos não acreditavam que eu estava inteiro, não queriam me liberar, depois de muitos raios-X, e 8 horas de observação, estava saindo do hospital, em pé, com minha família, com meus melhores amigos, Milton João Fontanella e Lurdes Ana Cesconeto, sabe aquela frase que amigos a gente conta nos dedos, pois é, é verdade e de uma só mão! Betano Você lembra quando eu fui na sua casa te visitar depois que levou um corte no dedo? Ciclano lembra quando eu fiquei uma madrugada de segunda no frio com você tirando seu carro de um perau? E fulano, lembra quando te tirei de uma balada carregado pelos braços te levei pro hospital e fiquei até às 7 da manhã chorando com seus pais? Pois é eu lembro... não guardo mágoas de ninguém, mais tem gente que não é digno de minha amizade, Obrigado Rafael Gustavo Frello por ter me acompanhado até o hospital, Danilo Salvaro e Lucas Braz por terem ido me ver no hospital e Luciano Cesconeto Panela meu primão que foi até a minha casa ver como estava. ACREDITE EM DEUS, ELE ESTA TE OBSERVANDO A TODO MOMENTO.

“Ainda que eu ande pelo vale da sombra da morte, não temerei mal nenhum, porque tu estás comigo: a tua vara e o teu cajado me consolam.” (Salmo 23.4)


Por Lucas Fontanella

Powered by 123ContactForm | Report abuse