terça-feira, 17 de setembro de 2013

Avicultores de Siderópolis e Nova Veneza reunidos no Jordão Baixo

Avicultores de Siderópolis e Nova Veneza participam de reunião com integrantes da Associação dos Avicultores do Sul Catarinense
Os avicultores dos municípios de Siderópolis e Nova Veneza estiveram reunidos na noite desta segunda-feira, dia 16, para tratar junto com a diretoria da Associação dos Avicultores do Sul Catarinense a situação sofrida com a baixa remuneração nas negociações com as empresas, na comunidade de Jordão Baixo, interior de Siderópolis. O objetivo principal do encontro foi expor a intenção da associação que não é prejudicar a indústria, mas unir os avicultores para buscar mais facilmente os objetivos dos nossos agricultores.
Para o prefeito de Siderópolis, Helio Cesa, o Alemão, o encontro serviu para mostrar aos avicultores que precisam estar unidos e brigar pelo fortalecimento da associação. “Nos últimos anos, o Brasil consolidou-se como um dos grandes fornecedores de proteína animal para o mundo. A indústria frigorífica nacional é um dos setores mais promissores da economia de exportação do país. Para que os nossos agricultores tenham mais resultados, nós devemos ser inteligentes. Não devemos destruir pontes, criar conflitos e sim, buscar que tenhamos sempre o diálogo e o poder da negociação”, comentou o chefe-do-executivo em seu pronunciamento.
O presidente do Sindicato dos Trabalhadores Rurais de Nova Veneza, Evandro Boaroli enalteceu que os avicultores unidos são fortes. “O sindicato é uma organização que representa todo o setor agrícola e estaremos do lado dos avicultores”, pontuou.
O presidente da Associação dos Avicultores do Sul Catarinense, Emir Tezza, comentou que a culpa da agricultura como um todo somos nós, agricultores, que não nos organizamos. “Se há 10 anos tivéssemos nos mobilizado  a situação poderia ser outra. Nas grandes esferas, quando entram projetos que favorecem aos agricultores, eles permanecem durante anos sem entrar em votação”, afirmou.
Tezza ainda comentou a situação do avicultor é drástica. “O agricultor constrói aviário e depois de um tempo é fechado. É feita uma propaganda enganosa. Sem poder levantar a voz, alguns avicultores com medo de retaliações, mas não se amedrontem. Nós queremos valer os seus direitos, através do dialogo, da negociação e temos que ser respeitados pelas empresas”concluiu.

Segundo a diretoria da associação, já são mais de 400 inscritos até o momento, representando 21 municípios das três microrregiões do Sul de Santa Catarina. Segundo Anilson Dal Molin , no início havia um medo de ser punido pela empresa por parte dos proprietários de aviários, mas ao serem melhores informados a respeito da associação, aderiram e apoiaram a iniciativa.
Uma audiência Pública está marcada para o dia 26, na Câmara de Vereadores de Nova Veneza.
Participaram do encontro o presidente da Câmara de Vereadores de Nova Veneza, Alberto Ranacoski, os vereadores Altevir Amboni, Edgar Preis, o presidente do Sindicato dos Trabalhadores Rurais, Evandro Boaroli, De Siderópolis, o Secretário de Obras e Serviços Urbanos, Dioni Burnagui, o vereador Valmor Zanelatto, o engenheiro agronomo da prefeitura, Ronaldo Remor e a assessora de gabinete, Gladys Kestering.

Powered by 123ContactForm | Report abuse