terça-feira, 5 de novembro de 2013

A secretária moderna


Atualmente o profissional de secretariado executivo conquistou um espaço de grande relevância no mercado de trabalho, pois deixou de ser um simples executor de tarefas para se tornar um facilitador, consultor e empreendedor administrativo, com capacidade de opinar, tomar decisões organizacionais e solucionar conflitos.
Porém, o mercado de trabalho exige a este profissional à busca continuada e incessante de mais atributos, que venham agregar conhecimento, competências e habilidades, afins á profissão.
 A partir desta perspectiva, pode-se afirma que “a secretária do futuro não trabalha mais para um determinado executivo e sim para a empresa” (Guimarães, 2001; p.301) porque “mudou sua imagem nas organizações ao deixar de ser elemento de apoio do chefe e assumir [...] o desafio de introduzir novas metodologias da informação” (Lima 2002, p.447).
Em virtude dessa nova perspicácia, a secretária executiva atual assume um papel polivalente como secretária multifuncional, com uma visão sistêmica e holística de toda a organização e de seus diversos atributos.
Para os autores HILLESHEIM; TORRES (2006) a função secretarial é atualmente uma das que mais cresce devido que os executivos encontraram segurança e apoio nesta profissão.
Desta forma, a secretária executiva conquistou um espaço no campo da gestão, tornando-se um membro ativo, já que tem a capacidade de delegar tarefas e a tomar decisões organizacionais.
Logo, para desempenhar a função de gestor, a secretária tem como diferencial os seus amplos conhecimentos nas áreas técnicas, administrativas e emocionais que a permite atuar como um filtro de problemas, visto que a solucionam.
Entretanto, para a secretária executiva exercer suas funções com excelência a mesma deve: planejar, organizar, controlar e liderar suas atividades, este processo tem a finalidade de desenvolver com qualidade e responsabilidade suas tomadas decisórias.
Além disso, o cenário secretarial teve que agregar mais conhecimentos, para lidar com as diversidades do mercado de trabalho e de tal modo evitar conflitos entre grupos multiculturais.
Desta forma, a secretária executiva tornou-se multifuncional e multicultural, porque esta interligada com fatores culturais, sociais, psicológicos e/ou humanísticos.
O profissional de secretariado tem como aptidão o conhecimento de línguas estrangeiras, pois a secretária tem que ter a capacidade de compreender, analisar e interpretar o fluxo de informações, para atender a empresa e os clientes como um todo.
Deste modo, com os avanços tecnológicos e com o grande fluxo e velocidade das informações, a língua inglesa e espanhola tornaram-se essenciais para a secretária executiva no Brasil, já que o inglês é considerado uma língua universal e o espanhol é impulsionado pelo MERCOSUL.
No artigo 4° da regulamentação da profissão de secretária executiva consta que é atributo da secretária: “redação de textos profissionais especializados, inclusive em idioma estrangeiro”; e “versão e tradução em idioma estrangeiro, para atender às necessidades de comunicação da empresa”. Cabe á secretária executiva saber interpretar e adquirir as mudanças exigidas pelo cenário empresarial.


Portanto, para atender a demanda do mercado de trabalho, a secretária executiva deve estar sempre se atualizando para captar, analisar e interpretar as exigências propostas por este cenário globalizado e consequentemente promover o seu desenvolvimento profissional e organizacional. 

Por Tatiani Oliveira Ávila

Powered by 123ContactForm | Report abuse