segunda-feira, 18 de novembro de 2013

Siderópolis comemora Dia da Consciência Negra


Em comemoração ao Dia da Consciência Negra (20 de novembro) data da morte de Zumbi dos Palmares, o Governo Municipal em parceria com a Câmara de Vereadores de Siderópolis promoveu na segunda-feira, uma homenagem às famílias sideropolitanas visando resgatar e homenagear a cultura negra. Foram homenageadas as famílias de Julieta Martins da Conceição, Maria Porfírio da Silva, Margarida Teixeira dos Santos, Pedro Manoel Fernandes, Arnaldo dos Santos e Santos Bernaldo.

A abertura do evento contou com o Grupo Afro Ganga Zumba que visa valorizar a cultura popular da etnia negra, suas culturas e crenças, unindo o canto e dança.

Já o palestrante da noite, o professor, mestre em Gestão de Patrimônio Cultural e doutorando em Quaternário Material e Cultura, Marcos Canetta Rufino destacou os 25 anos de sua militância para o movimento negro e falou sobre temas englobando a identidade,  a cultura e o patrimônio. “As incertezas e falsas certezas remontam um cenário obscurecido pela mão do invasor que, além de ter invadido vidas culturas e corpos, destoou do cerne da naturalidade a história do outro que virou um tipo de ser sem “passado”, sem “memória” e, por incrível que pareça sem “face” no Brasil”, pontou ao falar da história da etnia e sua identidade cultural.

O vereador Joênio Marques (PMDB), que fez a indicação ao governo do evento, agradeceu ao prefeito Helio Cesa, o Alemão e evidencia a importância para a etnia. “Além das homenagens aos abolicionistas, e aqui em Siderópolis as nossas famílias, lutamos pela busca da concretização do sonho externado, há exatos 50 anos, por Martin Luther King Júnior: ‘Chegará o dia que as pessoas serão avaliadas pelo caráter e não pela cor da pele’.

Ele ainda acrescenta que a cidade de Siderópolis, foi convocada para um "Patamar de consciência maior no qual não tem mais espaço para discriminar quem quer que seja".

O prefeito de Siderópolis, Helio Cesa, o Alemão em seu discurso falou que é preciso resgatar a cultura e a história dos negros, poderá não ser o pagamento em dinheiro, mas na valorização social e cultural deste povo. “Sinto-me muito a vontade de falar sobre o tema e sou consciente da importância da valorização. Hoje, estamos dando uma demonstração de respeito e enalteço o pedido do vereador Joênio Marques. Este é o primeiro de outros eventos que iremos fazer. Quero aproveitar para agradecer e deixar um forte abraço a todas as famílias de Julieta Martins da Conceição, Maria Porfírio da Silva, Margarida Teixeira dos Santos, Pedro Manoel Fernandes, Arnaldo dos Santos e Santos Bernardo que colaboraram e colaboram a história do nosso município.”

E para finalizar o seu discurso cantou o refrão da música Naquela Mesa, de Nelson Gonçalves - "Naquela mesa tá faltando ele e a saudade dele tá doendo em mim."

Powered by 123ContactForm | Report abuse